Ópera | O Anão

ÓPERA

 

O ANÃO, de Alexander von Zemlinsky (1871-1942)

 

17, 19, 24 e 26 de agosto, às 20h
21 e 28 de agosto, às 17h

 

Sinopse

Em sua biografia, Alma Mahler descreve Zemlinsky como um “gnomo horrível”, mas segue por dizer que seu fascínio fora despertado ou mesmo se intensificava por isso (ambos acabariam por ter um caso em 1900). A tensão entre aparência e a natureza do caráter é uma espécie de tema central da cultura estética do fin-de-siècle, e talvez ainda mais em Viena. Em 1912, Alexander Zemlinsky pede a Franz Schreker um libreto sobre “a tragédia de um homem feio”. O projeto com Schreker acaba por ser abortado e Zemlinsky, em busca de um roteiro, se depara com um pequeno conto de um autor campeão a seu tempo.

“O Aniversário da Infanta” foi escrito por Oscar Wilde em 1888 para seus dois filhos, Cyrill e Vyvyan – de dois e três anos, respectivamente. Conta a história da festa de aniversário da infanta espanhola Dona Clara, órfã de mãe que recebe um anão que vivia na floresta para animá-la com os seus jogos e gestos engraçados. O anão, em vez de fazer rir a assistência infantil com os seus jogos, repara que é ele próprio e sua aparência que a diverte. Quando o anão recebe uma rosa branca da infanta, sem nunca ter visto a própria imagem, inconsciente de sua condição, enamora-se por ela. Ao entrar numa das salas espelhadas do palácio, de frente a si mesmo, o anão sente o desgosto a lhe invadir a alma.

Trinta anos depois, e vinte anos após a morte de Wilde, Zemlinsky retoma o argumento para uma ópera inspirada. Intitulada Der Zwerg (O anão), a ópera narra a mesma história de Wilde que era conhecido entre os músicos sobretudo por “Salomé”, de Richard Strauss, (a qual foi regida na temporada 1910/1911 pelo próprio Zemlinsky). A ópera e seu enredo cabem bem no momento histórico das primeiras décadas do século XX e a escrita musical lembra bastante Richard Strauss em seu um contínuo musical de grande intensidade dramática.

Aos olhos de hoje, parece ser mais que natural que no mundo de contemporâneos de Freud, Hofmannsthal, Schnitzler e Klimt, o tema aparecesse reabilitado.

texto de Leandro Oliveira (regente)

 

 

Elenco:

 

Dona Clara, infanta de Espanha | soprano | Maria Sole Gallevi**

 

Ghita, sua dama de companhia | sopranoRaissa Amaral*

 

Don Esteban | baixo | Gustavo Lassen**

 

O Anão | tenor | Mar Oliveira**

 

1ª Serva | soprano |Raquel Paulin*

 

2ª Serva | sopranoMarly Montoni**

 

3ª Serva | mezzo-soprano |Andreia Souza**

 

Amigas da Infanta | Jéssica Leão*, Laís Assunção*

 

Atores | André Mattos, Guto Moura, Júlio Leão, Lucas de Souza, Mila Poci

 

Ficha Técnica:

 

direção musical e regência | André Dos Santos

 

regência | Edson Piza (24 de Agosto)

 

regência do coro | Henrique Villas-Boas

 

pianistas correpetidores | Alexsander Ribeiro de LaraRenan Branco

 

concepção e direção cênica | William Pereira

 

cenografia | Karina Couto Machado e Renata Pati 

 

figurinista | Olintho Malaquias

 

visagista | Christian Mourellhe

 

desenho de Luz  | Fábio Retti

 

*Solista da Academia de Ópera do Theatro São Pedro 2016

** Elenco estável Theatro São Pedro 2016

 

 

Theatro São Pedro

Endereço: Rua Dr. Albuquerque Lins, 207 São Paulo – Metrô Marechal Deodoro

Tel. 11 3661.6600

636 lugares

 

Preços

Plateia R$ 80,00

1º balcão R$ 40,00

2º balcão R$ 30,00

 

Descontos

Estudantes, aposentados, pessoas acima dos 60 anos e professores da rede pública estadual, devidamente identificados, têm desconto de 50% nas assinaturas.

 

Como comprar

Bilheteria do Theatro São Pedro

Acesso pela Rua Barra Funda, 171 – São Paulo – Metrô Marechal Deodoro

Horário de atendimento: (terça a sábado, das 10h às 20h e domingo das 10h às 18h).

Pelo Ingresso Rápido – T 11 4003.1212 / www.ingressorapido.com.br

 

-ingresso disponível na bilheteria do teatro ou no site da Ingresso Rápido.

Não recomendado para menores de 08 anos